Notícias

Entrevista ao nosso presidente – Pedro Santos

CCA: Depois de um ano à frente do CCA, qual a análise que faz a este ano?

Pedro Santos: Foi o ano da adaptação. Tentámos fazer o melhor trabalho possível, mas não foi fácil, e confesso, ficámos um pouco aquém das expectativas. Em termos desportivos, correu bem, o trabalho foi muito positivo, e atingimos os objectivos.

Em termos da vida social do Clube , e eventos, confesso que esperava mais. Creio que fizemos os serviços mínimos. Ainda assim diria que fizemos os eventos normais nos primeiros 6 meses. Quando nos preparávamos para inovar, criando novos eventos, e eventos que aproximariam os sócios do Clube, veio a pandemia e bloqueou-nos. Por isso digo que não atingimos os objetivos definidos, mas como não somos da raça de cruzar os braços, vamos trabalhar afincadamente, mais pelo menos 2 anos.

CCA: Foi um ano bastante atípico para todos nós, mas em especial para o futebol distrital e de formação. Esta pandemia acabou por afetar tambem o CCA?

Pedro Santos: Sim, como já expliquei na questão de cima, a segunda parte do campeonato ficou bloqueada pelo Covid. Em termos desportivos , não sofremos muito, todas as equipas tinham uma classificação tranquila, por isso não nos sentimos especialmente prejudicados. Embora não possamos esquecer que os Juvenis, estavam a fazer uma excelente época, e estavam em lugar de discutir a subida aos nacionais. Além disso estavam qualificados para as meias finais da taça distrital, e com grande determinação para ir à final. Em termos financeiros, prejudicou-nos muito, porque tínhamos eventos marcados para o mês de Março, Maio e Junho, que nos ajudariam a equilibrar as contas, e tal não foi possível. Mais graves ainda vão ser os resultados financeiros para aproxima época, pois normalmente tínhamos, 4 ou 5 eventos para o verão que nos trariam alguma almofada financeira para a próxima época, e se não houver grandes alterações, tudo vai ser cancelado, e as receitas vão ficar aquém do planeado. Mas a vida é isto, há que levantar a cabeça , e seguir.

CCA: Quais foram as maiores dificuldades encontradas no CCA e na sua envolvente?

Pedro Santos: As grandes dificuldades encontradas, prendem-se com a falta de mobilização dos sócios, simpatizantes, e Ansianenses. Não é fácil arranjar tempo para o associativismo, para as causas da terra, mas tudo se torna mais difícil, e por vezes mais desmotivante, quando não se sente reciprocidade do outro lado. Atenção, o CCA tem os melhores adeptos do mundo, fico muito feliz com os que vejo no Estadio, no Pavilhão, no restaurante do CCA, nas Tasquinhas, etc, mas queria ver muito mais. Temos tudo para ter muito mais gente connosco. Esse vai continuar a ser o nosso desafio, trazer a população para o Clube.

CCA: Quais são os seus objectivos enquanto presidente, para este próximo ano?

Pedro Santos: Em primeiro lugar, a ultima frase da resposta anterior ”trazer a população para o clube”. Quero unir mais as tropas, quero que sigamos TODOS JUNTOS. Depois cimentar o crescimento da Formação. Desejo, e espero a subida dos Júniores à Divisão de Honra. Gostava que o Futsal também subisse à Divisão de Honra, acho que já merecem. Ainda no Futsal , vamos ter o regresso do Futsal feminino ao CCA, onde espero que consigamos captar muitas atletas, para nos próximos anos também sermos um clube competitivo. No futebol sénior, desejo que consigamos aquilo que ultimamente temos habituado os sócios, lutar pela classificação na primeira parte da tabela, e pensar na final taça. Nos séniores ainda , desejo que consigamos a adaptação dos jogadores que vem da formação à equipa principal, para que em 2021/22, tenhamos na espinha dorsal da equipa 6, 7 jogadores da formação. Gostava também que houvesse mais atletas no Andebol, que fosse possível fazer mais 1 ou 2 equipas, para que fossemos um Clube cada vez mais eclético, e competitivo. Por último, desejo também que a nossa equipa de Bilhar conquiste vitórias no campeonato Distrital.

CCA: Relativamente à formação do CCA, considera que somos um bom clube formador?

Pedro Santos: Sem duvida. Se há clubes que tem crescido muito na formação, o CCA é um deles. E aqui quero dar os parabéns a toda a estrutura da formação, nomeadamente, ao Vice Presidente Stefan Friesen e ao coordenador David Carvalho. Se hoje nos podemos orgulhar de chamar 11 ou 12 jogadores da formação para os séniores, devemos agradecer ao trabalho de formação que tem sido feito. Temos tido bons treinadores, a máquina tem funcionado. A formação continuará a ser a nossa aposta, e a prova disso é que estamos também na fase de Certificação da Formação. Eu diria que C.C. Ansião rima com formação.

CCA: O CCA este ano vai apostar mais nos jogadores saídos da formação. Achas que isso poderá ajudar a que os adeptos regressem ao estádio?

Pedro Santos: Essa é a ideia. Mas eu acho que a aposta do CCA na chamada de jogadores da formação aos séniores já vem sendo feita a alguns anos. Temos o Nelson, o Joel , o Jorge, o Rui Castela, que também foi formado num clube do Concelho, o Alexandre Silva, todos jogadores que já jogaram no ano transato nos séniores. Este ano a colheita é maior, e espero que continue a ser.

Mas não confundam jogadores que vem da formação, com jogadores que jogam quase sem gratificações. Nós queremos ter uma equipa feita com jogadores da formação, mas serão sempre gratificados a preço de mercado, e ao mesmo preço de jogadores de fora. Todos os jogadores que forem titulares regulares nos séniores esta época, para renovarem na próxima o preço solicitado será ao nível dos melhores. Ninguem duvide disso, hoje não há jogadores grátis, não há mais jogadores como o Jorge Fazenda. Temos os clubes dos concelhos vizinhos, que tem poder financeiro, e pagam bem para levar os nossos melhores jogadores da formação, e nós se os queremos manter, temos de pelo menos igualar a oferta. Mas sempre que consigamos jogadores da casa, serão sempre os preferidos do Clube.

CCA: Quer acrescentar alguma coisa?

Pedro Santos: Quero. Em primeiro lugar quero pedir aos sócios e simpatizantes, que se juntem a nós , apoiem o CCA, apoiem os nossos atletas, porque nós estamos aqui para fomentar o Desporto em Ansião, estamos aqui para formar os jovens, e encaminhá-los para uma vida saudável. Depois queria apelar ao coração dos nossos empresários. Adivinham-se tempos difíceis, mas não nos fechem a porta, ajudem com o que puderem, mas ajudem. Por último, quero agradecer o “ SIMMMMMMM “ ao projeto, 2 duas pessoas com um passado muito grande no CCA. O nosso treinador Paulo Neves, que volta pela quarta vez, somando um total de 13 anos ao leme do CCA, que desde a primeira hora , não hesitou, e abraçou o projeto. A outra pessoa, é o nosso Eterno Bajedas ( Nelson João ). Há jogadores da formação que ainda não tinham nascido, já o ”Velho” jogava nos séniores do CCA. É um orgulho tê-lo neste projeto, e irá com certeza ser uma mais valia para o CCA 2020/21.

E a ti Marco, OBRIGADO pela forma brilhante como geres a página do CCA. Se calhar poucos sabem, mas a verdade é que o nosso Departamento de Comunicação, é gerido pelo nosso ex-jogador e sócio Marco Duarte, a cerca de 2000 km de Ansião. O CCA é muito Grande, TODOS JUNTOS VENCEREMOS.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.